quinta-feira, 29 de julho de 2010

as cores e o passado

fotojornalismo feito com interesse, carinho e talento é uma das coisas mais bonitas já criadas pela humanidade. cada vez tenho mais certeza disso. os estados unidos também e muito antes de mim, pode acreditar. não só pela grande escola de fotógrafos dos campos, cidades e pessoas (walker evans, porra, walker evans), mas também por possuirem uma instituição como a biblioteca do congresso, que sempre investiu pesado em arquivos, coleções e viagens documentais de profissionais país afora. foi de seu acervo que nasceu em 2006 uma exposição com impressionantes fotos coloridas tiradas entre 1939 e 1943 nas profundezas da américa (cortesia de funcionários da farm security administration/office of war information). fiquei sabendo dessa história através de uma seleção de 70 fotos que foi publicada recentemente no ótimo blog de fotografia do denver post. separei aqui as minhas 11 preferidas. a dica veio de @elderc e @jujubas.

pie town, new mexico, 1940 - foto de russell lee


pie town, new mexico, 1940 - foto de russell lee

white plains, greene county, georgia, 1941 - foto de jack delano

greene county, georgia, 1941 - foto de jack delano

delta county, colorado, 1940 - foto de russell lee

caribou, aroostook county, maine, 1940 - foto de jack delano

tem algo de absurdo, de irreal, nessas fotos de 70 anos atrás. deve ser porque são registros coloridos de um tempo que, pelo menos na nossa memória, é completamente preto & branco. engraçado isso. até o nascimento da fotografia e do cinema era a pintura a responsável por registrar o seu próprio tempo (e tal instantâneo era colorido, claro, como nossos olhos). mas as imagens geradas por essas novas máquinas se ocuparam rapidamente dessa função, o que acabou gerando uma espécie de "retrocesso" no nosso olhar, afinal a tecnologia só permitia o preto & branco. essa lacuna, essa abstração, foi da segunda metade do século 19 até meados do século 20. as fotos são todas preto & branco, bem como o cinema, e para quem não viveu nesse tempo a cor simplesmente não existe. então, quando aparecem fotos assim é coisa de pensar. parece mentira. parece que é cinema.

rutland, vermont, 1941 - foto de jack delano

rutland, vermont, 1941 - foto de jack delano

mcintosh county, oklahoma, 1939 ou 1940 - foto de russell lee

mcintosh county, oklahoma, 1939 ou 1940 - foto de russell lee

p.s. 1: acabei, a princípio sem querer, editando as fotos para esse post em um esquema de duplas, diálogos. acabou sobrando essa. solitária. apenas um garoto.

cincinnati, ohio, 1942 ou 1943 - foto de john vachon

6 comentários:

Jeff disse...

bela Dafne.

dafne disse...

hã? bela eu? belas fotos?
jeff, é tu?
tantas perguntas...

Marcos Azambuja disse...

Fodido! Tem cores tão vivas que no inicio achei serem fotos contemporâneas.

dafne sampaio disse...

isso mesmo Marcos. exatamente por essas cores vivas que fiquei com essa impressão de que "eram de mentira", tipo imagens de divulgação de uma filme de epóca hollywoodiano (lembrei do "E Aí Meu Irmão, Cadê Você?" dos Coen). foda.

kk disse...

Essas photos são o coisa mais linda! Mais linda! Pardon me my portuguese!

kk disse...

Lindas as fotos.