quinta-feira, 16 de julho de 2009

ah, bill withers

nem lembro como conheci bill withers - já deve ter uns dois anos -, mas foi amor à primeira ouvida. sentimento e sofisticação, soul e um tanto de funk, e tudo o mais que se pode esperar da excelente música negra dos anos 1970. relembrei o sujeito depois que o corjaman edson franco contar que viu soul power (2008), de jeffrey levy-hinte, em nova york neste final de semana. o documentário trata daquele woodstock negro que rolou no zaire/congo em 1974 próximo a histórica luta de muhammad ali vs. george foreman (retratada no clássico quando éramos reis, filme de leon gast de 1996 - fast é produtor de soul power, ou o poder do soul como saiu em dvd aqui). estiveram presentes figuras como james brown, miriam makeba, the spinners, the crusaders, celia cruz, b.b. king e bill withers, que canta "hope she'll be hapier" de seu primeiro disco, just as i am (sussex, 1971). edson chapou, não fala de outra coisa, e a obsessão se aprofundou depois que passei o link do video desta música, a fuderosa "use me", que é do disco still bill (sussex, 1972). sente o drama.



mas tem outra coisa sobre bill withers que muito me surpreendeu quando o conheci (vi que também não foi fácil pro edson assimilar a informação). ele é o autor de um dos maiores clássicos da música americana-mundial, "ain't no sunshine", que é a segunda faixa do disco just as i am. vai lá, bill, arrepia.



e agora, pra encerrar, o trailer de soul power. o bruno natal fala um pouco mais sobre o documentário lá no URBe.



atualização: taí o video de "hope she'll be hapier", direto do filme.


Bill Withers from Jesse Thorn on Vimeo.

2 comentários:

Valtinho disse...

Salve Dafneiras!
Quem canta uma versão bem legal de "use me" é o Mick Jagger num disco solo dele, em que ele divide o microfone com ninguém menos do que o Lenny Kravitz, o nome da bolachinha deve ser "Wondering Spirits", capa azul. Vale conferir.
Abração
Valtinho

dafne sampaio disse...

olha o valtinho, nosso corjaman em férias, comparecendo...
não sabia dessa, mick jagger safado, vou atrás. valieu.