quarta-feira, 17 de junho de 2009

CORJA #1

sim, amiguinhos e amiguinhas, tá no ar a edição de estreia, também conhecida como #1, do podcast do CORJA. logo aí na barra ao lado. gravada em dois momentos, um sábado e uma terça, esta edição foi feita na sala do cafofo de edson franco entre bolachões, posters de jazz e um impressionante gravador de rolo. já dá pra notar que o som melhorou bastante. estávamos com três bons microfones - aliás, um obrigado público a daniel almeida que emprestou o seu com pedestal e tudo mais -, e tentamos na medida do possível ser mais concisos. mas ainda não rolou. estamos com umas ideias aí pro próximo e tal, e enquanto isso vocês podem xingar, elogiar, dar pitacos e fazer uma marola. à vontade.

oga, edson, valtinho e eu nos divertimos bastante entre buraka som sistema, nara leão, céu, matt & kim, nelson ferraz e gordurinha. ao fundo, faixas do disco som quente é o das neves (polydor, 1969), de wilson das neves. agora diga, onde mais, nesse mundão da internet, você ouviria gordurinha e matt & kim no mesmo programa? só aqui no CORJA, negô!!! é nozes. e tem download AQUI.

p.s. 1: no dia 22 de junho, alexandre matias falou do podcast no seu imprescindível trabalho sujo. falo por todos que é uma honra receber os elogios de um cara que manja da parada, tá ligado? ainda mais que ele acabou, finalmente e sem querer, nos batizando: CORJACAST. valeu, matias!!!

corjacast#1 by corjacast

5 comentários:

Ariadne disse...

CORJA
Muito bom, bem melhor.
com relação ao baião e forró, o forró engloba vários ritmos que inclui entre eles o baião, o forró é meio que guarda chuva onde uma composição de trio toca vários ritmos para um bom arrasta pé.
Não acho que o forró seja uma música simples. e acho que tem gente que escuta forró no carro, nem todo forró é para dançar.
ah, e forró eletrônico é ruim mesmo.

abraços e até

dafne sampaio disse...

taí cambada ignara!
minha irmã entende do riscado, do xaxado e do arrasta-pé.

marcelo coelho disse...

blza, corjasss....

parabens pela iniciativa.

concordo com releitura como sendo uma interpretacao que agrega algo diferente do original, mas nao creio que seja necessario criar uma parafernalia sonora pra mostrar essa diferenca. uma reharmonizacao inteligente, inesperada mas musical ja diferencia do original de forma perceptivel, e naturalmente vai influenciar na interpretacao e tal.... mas dizer que a Nana Caymmi faz releituras em tudo que grava forcou a barra...

vamo q vamo..

abraco

marcelo coelho
www.myspace.com/coelhomusic

Priscilla Arantes disse...

PARABÉNS! Adorei, mesmo! O que mais me cativou foram as informções sobres as músicas. Sou apaixonada por rádio, mas não me satisfaço com rádios comerciais não só pela programação-gravadora, também pela falta de informação. A falta de valorização ao compositor que nunca é citado em releituras contemporâneas, enfim... PARABÉNS novamente. Beijos!

dafne sampaio disse...

hahaha, marcelo, também concordo que essa história da nana caymmi forçou a barra, mas o edson é fã... e o médico disse pra não contrariar...
muito obrigado priscilla. a gente gosta disso, música e informação.